segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Ensaio Sobre a Cegueira


Por incrível que pareça, ainda não tinha lido este livro do nosso Nobel José saramago! Mas devido a toda esta discussão à volta do filme realizado pelo brasileiro Fernando Meireles, baseado nesse mesmo livro e ao meu desejo de o ir ver, decidi ler o livro em questão para depois o poder comparar e até mesmo perceber e integrar-me melhor na história.
Bom... Só me arrependo de não o ter lido há muito mais tempo atrás, o livro é fabuloso.
A história deste livro, baseia-se numa súbita doença contagiante que cega as pessoas e concentra-se num pequeno grupo onde está inserida a única que não é atingida por esse mal.
A partir daí é desenvolvida toda a espécie de situações, desde o isolamento dos cegos e respectiva vida dos mesmos no isolamento, às formas de relacionamento entre os cegos, a adaptação (ou não) a uma nova vida e os oportunismos criados com esta situação.
O livro tem partes muito intensas, que chegam a ser violentas física e psicológicamente, explorando a condição humana e a falta dela, ou a rapidez com que se perde a mesma.
Apesar de ser um livro do Saramago, com a sua má fama de escrita complicada, não o achei assim. Lê-se extremamente bem, é muito descritivo e fluído, sem nunca ser monótono.
Se o filme for como o livro (que não é dito pelo próprio realizador), ou muito próximo, de certeza que vai ser um bom filme.
Em relação ao livro aconselho-o, mas deixo desde já a advertência que tem passagens um fortes para pessoas mais susceptíveis nomeadamente para as mulheres.

8 comentários:

CatarinaGarcia disse...

Eu também só recentemente li um livro do Saramago, As Intermitências da Morte, e adorei, um dos livros que mais gostei até agora. Ele tem um modo de escrever diálogos diferente, sim, mas é só entender e depois disso a leitura flui dum modo excepcional. Adorei. Espero em brever ter tempo de ler este livro também de que aqui falas pois assim que puder vou ver o filme que, com um realizador tão bom, só pode ser excepcional.

Sofia disse...

AMIGO... PARABÉNS!!!!!!!
Eu infelizmente tenho uma péssima relação com Saramago. Não gosto dele enquanto pessoa e sempre que abro a página de um livro de sua autoria, fico com naúseas...
Talvez se o sr. fosse um pouco mais humilde e agradeçido ao país que lhe rende algum dinheiro eu o "conseguisse ler"...

Talvez vá ver o filme...

Kiss kiss

Isabel disse...

Uma amiga minha disse-me que este é um dos melhores de Saramago e agora também tenho curiosidade de ler. Dele só li o Memorial do Convento e A Jangada de Pedra e gostei mas não amei!

Eme disse...

"(...) nomedamente para mulheres"?!?!?!?
Mas que comentário tao machista!!!
Aconselho-te a rever esses preconceitos...já não fazem nenhum sentido...

tonsdeazul disse...

Não tive a oportunidade de ler o livro antes do livro, mas o filme é fascinante em todos os sentidos! É bastante forte sem dúvida, houve partes do filme que tive prestes a virar a cara tal era a intensidade, mas o realizador está de Parabéns por colocar a nu todos os lados da condição humana.
É um filme a não perder. Quanto ao livro espero lê-lo, pois Saramago é um dos meus escritores portugueses de eleição.

{anita} disse...

Li o livro há uns anos e adorei. Apesar de ser uma narrativa bastante difícil de adaptar para cinema, Fernando Meireles fez um bom trabalho... mas este não será um dos seus melhores filmes.
o livro é sem dúvida mais violento. Saramago consegue mesmo fazer acordar pesadelos na nossa cabeça. O facto de não nos serem dadas imagens faz com que as imagens que construímos na nossa "cegueira" sejam muito mais cruas. Os cheiros, que não são transmitidos na brancura do filme estão muito presentes no livro...

Aline disse...

Eu li o livro e achei fabuloso! Mas a sua advertencia é sem sentido.
Pois oque afeta, não é pelo que acontece com as mulhrer, mas o que um ser humano é capaz de fazer com outro.
Se eles exigissem homens "naquela parte" a minha revolta seria mesma...
Não estou te criticando, nem acho que seja machista, mas está sendo injusto por achar que a passagem é forte para mulhere,só por que "aquilo" acontece com mulheres, pois come eu disse: a questão não é ser mulher ou homem , mas ser humano...
Adorei seu blog!!Várias dicas de leitura... parabéns!

Gingerbread Girl disse...

Este livro é simplesmente uma das melhores coisinhas que eu já li na vida.
Tocou-me imenso, talvez (tal como disseste) pela minha condição de mulher.
É muito cru e violento e ao mesmo tempo humano. Não sei bem o que esperava quando o comprei, mas não era de certeza aquilo.
Fantástico mesmo.

*