segunda-feira, 8 de setembro de 2008

O Livro das Ilusões

Paul Auster, um dos melhores escritores Norte - Americanos da actualidade, consegue com esta obra, trazer ao leitor várias histórias dentro do mesmo livro.
Começa com a história de David Zimmer, personagem que serve como fio condutor e elo de ligação das diversas histórias que se cruzam dentro da história principal.
Zimmer, professor universitário perde a mulher e os filhos num acidente de avião e devido a isso cai numa depressão profunda e na bebida. Mas certo dia, descobre através de um programa de televisão Hector Mann, antigo actor cómico do cinema mudo, que desapareceu misteriosamente em 1929, sem que nunca se descobrisse o que lhe terá acontecido e decide escrever um livro sobre a vida dele.
Através da investigação da vida de Hector e a respectiva escrita do livro, Zimmer aos poucos vai sainda da depressão e voltando a uma aparente normalidade. Após da publicação do livro sobre Hector, decide aceitar fazer a tradução de "Memórias do Túmulo" do escritor francês Chateaubriand. Para melhor se dedicar a essa tarefa, compra uma propriedade num local remoto para se isolar e concentrar na tarefa.
De repente tudo muda, Zimmer começa a receber umas cartas, aparentemente da esposa de Hector Mann que lhe diz que ele está vivo,leu o livro e lhe quer falar.
Ao princípio Zimmer pensa que é uma brincadeira e não liga até que recebe a visita de uma misteriosa rapariga, determinada a levá-lo até Hector Mann...
A partir daqui toda a acção se desenrola com a descrição da extraordinária história da vida de Hector Mann, uma história fantástica e extraordinária, uma autentica lição de vida.
Com este livro, Paul Auster para além da beleza da história e da sua escrita, transporta-nos também para o universo do cinema, primeiramente o do cinema mudo e depois para o do cinema em geral, mostrando-nos a sua técnica, produção e forma de construir filmes.
Dentro deste livro temos também a história que deu origem ao filme "A Vida interior de Martin Frost", que já fiz referencia no Pipasblog.
Dos livros de Paul Auster que já li, este a par de "As Loucuras de Brooklyn", é dos melhores e dos mais belos.
Recomendo a sua leitura a todos.

2 comentários:

Maldonado disse...

Pelo que dizes, tenho a vaga sensação de que a escrita de P. Auster sofre um pouco da influência do Realismo mágico latino-americano...

A indecisa disse...

Gosto de quase todos os livros dele. Esse foi o 1º e talvez o melhor, mas como já foi há algum tempo não tenho a certeza
A noite do oráculo, Leviathan, Palácio da Lua e as loucuras de brooklyn também gostei bastante.
Alguns não gostei muito, como o Mr. Vertigo, Pensei que o Meu Pai Era Deus entre outros.