terça-feira, 17 de maio de 2011

O Livro dos Homens Sem Luz - João Tordo


João Tordo, jovem escritor português que fez furor com o seu livro "O Bom Inverno", traz-nos neste seu primeiro livro uma obra muito boa e com a sua escrita "negra" já bastante demarcada.
"O Livro dos Homens Sem Luz", explora a solidão humana, a decadência do Homem e a loucura. Está construido com quatro capítulos, com estórias diferentes e separadas no tempo, que aparentemente nada têm umas a ver com outras.
Sendo assim na primeira estória temos um homem que perde a família e que se vê depois disso a trabalhar como uma espécie de "detective privado", seguindo diversas pessoas e fazendo relatórios para um homem misterioso, depois temos um casal que durante a II Guerra Mundial aquando da destruição da sua casa por uma bomba alemã fica preso na cave do prédio, sem luz e por um prolongado periodo de tempo e cuja reacção e forma de responder a esse acontecimento é totalmente diferente de um para o outro, de seguida é a estória de um jovem ex-estudante que trabalha numa biblioteca e que sofre de insónias devido ao seu misterioso vizinho do lado e por último, regressamos ao casal que ficou soterrado, principalmente ao homem e vêmos o que lhe aconteceu depois de ser resgatado.
Apesar de estas estórias aparentemente serem independentes umas das outras, estão interligadas através das personagens e as suas vidas cruzam-se umas com as outras criando uma teia de acontecimentos que por fim se juntam para o fim da meada.
Como atrás disse, a escrita de João Tordo é uma escrita negra, e nota-se tal como diz na contra-capa do livro, "uns ecos de Kafka e Paul Auster", sendo mesmo a primeira estória muito semelhante à primeira estória da "Trilogia de Nova Iorque" de Auster. O João Tordo cria também situações e ambientes que de tão opressivas e deprimentes, lembram sem dúvida Kafka, juntamente com um pouco de realismo mágico.
Apesar da ligeira semelhança ou lembrança de outros livros e autores que este livro me trouxe (Trilogia de Nova Iorque de Auster, 2666 de Bolano e até mesmo o Marina de Zafón), gostei bastante, aliás gostei mais deste livro do que do "O Bom Inverno".
Sem dúvida que João Tordo juntamente com Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto e Walter Hugo Mãe, é um dos melhores jovens escritores portugueses da actualidade e de certeza que irá dar que falar no futuro.
Nuno

1 comentário:

Sara Moreira disse...

Eu já li o livro e realmente é bastante interessante. Contudo fiquei com algumas perguntas relativamente ao que aconteceu com a 1º personagem, às pessoas "fantasmas" e ao vizinho do estudante. Eu agradecia se alguém me explicasse ou apenas me dissesse o que acham. :)