terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A Cidade Sem Tempo - Enrique Moriel


A Cidade Sem Tempo do Enrique Moriel, pseudónimo de Francisco González Ledesma, reconhecido escritor e jornalista Espanhol é sem dúvida daqueles livros que quando se começa a ler não se consegue parar mais.
A acção começa na Barcelona dos dias de hoje com a morte de um grande industrial de forma misteriosa e com o seu advogado, Marcos Solana juntamente com o padre da família, Padre Olavide a tentarem arranjar explicação para essa morte.
Juntamente com o advogado Solana trabalha uma bela estagiária, Marta Vivres que vai ser uma pedra fucral para o desenrolar da estória.
Paralelamente a esta acção, existe outra, a estória de um ser, que nasceu na Idade Média e que é imortal, um vampiro.
Sim, este livro tem como personagem principal um vampiro, mas este vampiro (que se pode considerar um vampiro bom, apesar de beber sangue humano de vez em quando), vai nos acompanhar e mostrar a evolução da cidade de Barcelona e do seu povo desde a Idade Média até aos dias de hoje, sendo perseguido por outro ser, do lado da igreja numa luta entre o bem e o mal onde a estagiária Marta Vivres também está envolvida sem o saber.
Moriel (Ledesma), com este livro para além de nos contar a história temporal, social e arquitectónica de uma das belas cidades do mundo como é Barcelona, traz-nos também a eterna luta do bem contra o mal, de Deus contra o Diabo, mas com uma visão deveras surpreendente, que se resume nesta pergunta: "que prova temos de que no combate entre o bem e o mal, entre Deus e o Diabo, ganhou o primeiro?"
Mais uma vez, tal como nos livros de Ruiz Zafón, A Sombra do Vento e o Jogo do Anjo, o ambiente gótico e misterioso de Barcelona é explorado sendo a cidade a personagem principal do romance.
Este livro, apesar de uma das personagens ser um vampiro (tão em moda actualmente), é bastante bem estruturado e com uma grande veracidade e pormenor histórico - social, não é sem dúvida um livro para "adolescentes apaixonadas".
Fiquem bem
Pipas


1 comentário:

Luis Mª disse...

Inteiramente de acordo consigo!
Terminei ontem de o ler, num fôlego mas com muito gozo.
A ter que destacar um aspecto,
a ligação entre as várias classes sociais seria um deles;
os jogos de interesses seria outro, entre tantos.
Muito recomendável e realista,
dá vontade de tomar o 1º transporte para Barcelona e localizar os locais onde a trama se desenvolve. Adorei!