quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Sharpe - Bernard Cornwell


Boas amigos(as), como várias vezes referi, um dos géneros literários que mais aprecio é o romance histórico, já vos falei da série "O Capitão Alatriste" de Perez-Reverte, de "Os Romanos" de Max Gallo e da série "Master and Commander" de Patrick O' Brian.
Hoje venho falar-vos de outra série que tenho lido ultimamente, (já li cerca de 4 livros da série) e que se passa na mesma época histórica que a série "Master and Commander, ou seja durante as guerras Napoleónicas, e que são as aventuras do fuzileiro Richard Sharpe.
Richard Sharpe é um soldado dos fuzileiros reais de Inglaterra que tem uma infância atribulada, nasce nos finais do século XVIII, filho de uma prostituta e de pai desconhecido, cedo se torna orfão, vive na miséria, e sobrevive de pequenos crimes até que para escapar à justiça se oferece como voluntário para o exército real.
É colocado na Índia onde participa em várias campanhas onde se vais distinguindo devido à sua coragem e à sua perícia como soldado. É na Índia que conhece e se torna "protegido" do famoso general Arthur Wellesley, (mais conhecido como Duque de Wellington), após lhe salvar a vida numa batalha.
A parte mais conhecida da série e a qual eu já li alguns livros como atrás referi e que igualmente se encontra traduzida em Português, são as suas aventuras na chamada "Guerra Peninsular", em Portugal e em Espanha, onde Sharpe vai passando por várias aventuras e batalhas determinantes do desenrolar das Guerras Napoleónicas, nessas aventuras vai ganhando o respeito e a liderança dos seus homens, progredindo na carreira devido ao seu valor e não à sua riqueza, visto que naquela altura os postos de oficiais eram comprados e não atribuidos.
Sharpe é uma personagem sólida, um homem de coragem, inteligente, um grande líder e que tal como o autor o descreve, "Não é um oficial mas também não é um soldado".
Nesta série, Cornwell descreve-nos igualmente e com um grande rigor histórico, essa época atribulada que foi a guerra contra Napoleão, descreve as batalhas com um grande realismo, bastantes pormenorizadas tal como a vida, equipamentos, armas e fardas dos soldados da época sejam eles Ingleses, Franceses, Portugueses ou Espanhóis.
Nota-se um grande trabalho de investigação e como disse um grande rigor histórico, os livros são bastantes fáceis de ler, as histórias apetitosas e viciantes, dando vontade de ler os livros todos da série (coisa que conto fazer).
É uma boa sugestão para uma leitura descontraída e empolgante.
Bernard Cornwell para além das aventuras de Sharpe tem também várias obras dentro romance histórico mas passadas na época do Rei Artur e na Idade Média, igualmente bastante boas e interessantes.
Fiquem bem
Pipas

3 comentários:

tonsdeazul disse...

Também aprecio romances históricos, mas ainda não li nada dos autores que referes. Ando com curiosidade em arrisar em algo de Perez-Reverte.

tonsdeazul disse...

Olá Pipas!
Obrigada pelas sugestões, que já anotei. :)
Eu estava a pensar em começar pelo "O Cemitério dos Barcos Sem Nome"... O nome agradou-me desde o início. Será que é uma má opção?

WhiteLady3 disse...

Adoro esta série. Tenho quase tudo o que é volume em áudio-livro e confesso que prefiro os livros cuja acção se passa na Índia. Acho-os mais exóticos. :)